Janeiro terá bandeira tarifária verde na energia elétrica, diz Aneel


 

Economia - 30/12/2022 - 18:58:50

 

Janeiro terá bandeira tarifária verde na energia elétrica, diz Aneel

Janeiro terá bandeira tarifária verde na energia elétrica, diz Aneel

 

Da Redação com Abr

Foto(s): Divulgação / FABIO RODRIGUES POZZEBOM / Abr

 

Não haverá cobranças adicionais na conta de luz, mas combustíveis podem aumentar após fim da MP (medida provisória)

Não haverá cobranças adicionais na conta de luz, mas combustíveis podem aumentar após fim da MP (medida provisória)


A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) confirmou hoje (30) que a bandeira tarifária para o mês de janeiro será verde. Dessa forma, não haverá cobranças adicionais na conta de luz. Janeiro será o nono mês seguido em que a bandeira tarifária estará verde.

Segundo a Aneel, com a chegada do período chuvoso, melhoraram os níveis dos reservatórios das hidroelétricas e o custo para a geração de energia está mais baixo. “Dessa forma, não é necessário acionar empreendimentos com energia mais cara, como é o caso das usinas termelétricas”, explicou.

Bandeiras tarifárias

Criadas em 2015 pela Aneel, as bandeiras tarifárias refletem os custos variáveis da geração de energia elétrica. Divididas em níveis, as bandeiras indicam quanto está custando para o Sistema Interligado Nacional (SIN) gerar a energia usada nas casas, em estabelecimentos comerciais e nas indústrias.

Quando a conta de luz é calculada pela bandeira verde, significa que a conta não sofre qualquer acréscimo. Quando são aplicadas as bandeiras vermelha ou amarela, a conta sofre acréscimos, que variam de R$ 2,989 (bandeira amarela) a R$ 9,795 (bandeira vermelha patamar 2) a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. Quando a bandeira de escassez hídrica vigorou, de setembro de 2021 a 15 de abril de 2022, o consumidor pagava R$ 14,20 extras a cada 100 kWh.

O esquema de bandeiras vale para o Sistema Interligado Nacional, que é dividido em quatro subsistemas: Sudeste/Centro-Oeste, Sul, Nordeste e Norte. Praticamente todo o país é coberto pelo SIN. A exceção situa-se em algumas partes de estados da Região Norte e de Mato Grosso, além de Roraima. 

Atualmente, há 212 localidades isoladas do SIN, nas quais o consumo é baixo e representa menos de 1% da carga total do país. A demanda por energia nessas regiões é suprida, principalmente, por térmicas a óleo diesel.

MP perde validade amanhã e combustíveis podem voltar a subir

Aumento está autorizado a partir de domingo

Horário de Verão - Acaba

Foto Divulgação / Rovena Rosa / Abr

A Medida Provisória (MP) que desonerou as alíquotas do PIS/Pasep e Cofins sobre combustíveis perderá a validade amanhã (31). A norma passou a valer em maio deste ano e suspendeu a cobrança dos tributos federais até o último dia deste ano.

Com a fim da medida, o preço dos combustíveis poderá subir nas bombas dos postos no primeiro dia de 2023.

Estimativas do setor de infraestrutura apontam que o litro da gasolina pode sofrer aumento de R$ 0,69, do diesel, R$ 0,33, e do etanol, R$ 0,26. 

Na terça-feira (27), o futuro ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse que pediu para o atual governo não prorrogar a desoneração de impostos. Segundo Haddad, a medida não poderia ser tomada de forma apressada durante a transição de governo. 

Ontem (29), após ser anunciado como novo ministro de Minas e Energia, o senador Alexandre Silveira (PSD-MG), disse que a questão do preço dos combustíveis será avaliada após 1º de janeiro e “nada está descartado”.

;

Links
Vídeo


Últimas Notícias




São Bernardo homenageia equipe de voluntários que atuaram no Rio Grande do Sul


Zambelli e hacker viram réus no STF por invasão ao site do CNJ


STF anula decisões da Lava Jato contra Marcelo Odebrecht


STF reconhece prescrição de condenação de Dirceu na Lava Jato


Especialistas debatem riscos de ataques cibernéticos no país


Dorival chama mais 3 jogadores para seleção brasileira na Copa América