Superliga europeia: 8 times desistem e projeto desmorona em dois dias


 

Esporte - 21/04/2021 - 09:48:38

 

Superliga europeia: 8 times desistem e projeto desmorona em dois dias

Superliga europeia: 8 times desistem e projeto desmorona em dois dias

 

Da Redação com BBC Brasil

Foto(s): Getty / EPA

 

A reação dos torcedores dos clubes envolvidos foi muito negativa

A reação dos torcedores dos clubes envolvidos foi muito negativa


Os seis times ingleses que iriam participar da Superliga desistiram do projeto na terça-feira. Nesta quarta, foi a vez de Inter de Milão, da Itália, e Atlético de Madrid, da Espanha, abandonarem o projeto.

Com isso, sobraram apenas Barcelona, Real Madrid, Juventus e Milan.

Mas o presidente da Juventus, Andrea Agnelli, admitiu nesta quarta que o projeto da Superliga não deve prosseguir.

"Para ser franco e honesto, não, evidentemente esse não é o caso", disse Agnelli, ao ser perguntado sobre a continuidade do projeto.

"Continuo convencido da beleza daquele projeto, do valor que teria desenvolvido para a pirâmide, da criação da melhor competição do mundo, mas evidentemente não. Não acho que esse projeto ainda esteja em pé."

O presidente da Juventus era um dos artífices da proposta e virou alvo da Uefa, entidade que regula o futebol europeu. O presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, chamou Agnelli de "cobra e mentiroso" na segunda-feira, dia seguinte ao anúncio dos planos da Superliga.

No domingo (18), Agnelli renunciou ao cargo de presidente da Associação de Clubes Europeus e se recusou a receber ligações de Ceferin.

Ao anunciar a sua saída do projeto da Superliga, o Atlético de Madrid disse que "a harmonia é essencial" entre o clube e a torcida, e acrescentou que a equipe titular e o técnico Diego Simeone apoiaram a decisão porque "o mérito esportivo deve prevalecer sobre qualquer outro critério".

No seu comunicado, a Inter de Milão afirmou estar "empenhado em oferecer aos torcedores a melhor experiência futebolística", acrescentando: "Nosso compromisso com todas as partes interessadas para melhorar a indústria do futebol nunca mudará".

Ingleses foram os primeiros

Na terça-feira (20), o Manchester City foi o primeiro a deixar o torneio, e logo depois os outros cinco ingleses (Manchester United, Liverpool, Arsenal, Tottenham e Chelsea) decidiram fazer o mesmo.

"O Manchester City confirma que iniciou formalmente o procedimento de retirada do grupo que desenvolve planos para a Superliga de futebol", afirmou o clube, confirmando a informação que havia sido antecipada pela BBC.O Arsenal pediu desculpas e admitiu ter cometido um "erro".

O Manchester United disse em um comunicado que ouviu "atentamente a reação dos torcedores, do governo britânico e de outros parceiros" na decisão de se retirar.

O presidente do Tottenham, Daniel Levy, disse que o clube lamenta "a ansiedade e o desconforto" causados ​​pela proposta.

O dono do Liverpool, o americano John W. Henry, pediu desculpas aos torcedores do clube. Ele assumiu a responsabilidade exclusiva pela "imagem negativa desnecessária", dizendo: "Eu os decepcionei. O projeto apresentado nunca iria resistir sem o apoio dos torcedores".

Os jogadores do Liverpool, uma das 12 equipes, expressaram em comunicado conjunto que não gostam da ideia e que esperam que a Superliga não vingue.

Os seis times ingleses formavam metade do grupo de 12 grandes clubes europeus que propuseram formar a liga própria, gerando uma onda de indignação generalizada.

Superliga - Acaba

Os torcedores do Chelsea protestaram nesta terça-feira contra a participação do time na Superliga

Na terça-feira (20/04), a torcida do Chelsea se manifestou contra a presença da equipe londrina no projeto do campeonato.

Após o anúncio da saída do City, a Federação Inglesa de Futebol (FA) comemorou "a boa notícia de que alguns clubes decidiram abandonar os planos" para uma nova liga que "ameaça toda a estrutura do futebol".

"Foi uma proposta cujo design poderia ter dividido nosso jogo, mas ao invés disso o unificou", disse a FA em um comunicado.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, elogiou a decisão dos clubes ingleses. "Eles fizeram a coisa absolutamente certa."

Florentino Pérez, presidente do Real Madrid — um dos clubes que liderou a iniciativa — disse no domingo que a Superliga nasceu "para salvar o futebol" porque, segundo ele, os jovens já não se interessam mais pelo jogo. Um dos motivos seria a existência de "muitos jogos de baixa qualidade" nos campeonatos atuais, algo que a Superliga mudaria.

Após a desistência dos ingleses, a Superliga chegou a divulgar um comunicado no qual afirmava que estaria avançando com a proposta, com algumas modificações. Mas na quarta-feira, o presidente da Juventus admitiu que o projeto desmoronou.

Não está claro se será fácil para os clubes se desvincular dos contratos que eles já haviam firmado.

Como tudo começou

No domingo (18/04), os clubes anunciaram a decisão de criar sua própria Superliga, diferente da Liga dos Campeões da Europa. Com isso, eles se distanciariam da Uefa, o órgão dirigente do futebol europeu que organiza a Liga dos Campeões.

Uefa, FIFA (a federação mundial), ligas nacionais, clubes, torcedores e governos manifestaram fortemente seu descontentamento com esta iniciativa, que vai contra os interesses de clubes médios e pequenos.

O presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, disse na terça-feira que estava muito satisfeito com a decisão das equipes inglesas de desistir do projeto.

"Eles mostraram inteligência ao ouvir as muitas vozes, especialmente dos seus próprios torcedores, que realçaram os benefícios vitais que o sistema atual traz para todo o futebol europeu".

"O importante agora é (...) reconstruir a unidade que o esporte desfrutava antes e seguirmos em frente juntos."

As ligas chegaram a ameaçar os grandes clubes de expulsão da Uefa e da Fifa. Os jogadores que participassem da Superliga poderiam ser excluídos das suas seleções e, inclusive, da Copa do Mundo.

Pressão

Antes da desistência de Inter de Milão e Atlético de Madri, a Superliga, em nota dos seus membros que restaram, havia dito que os clubes ingleses foram pressionados a abandonar o projeto, reiterando a intenção de seguir em frente com o plano.

"A Superliga Europeia está convencida de que o status quo do futebol europeu precisa mudar. Propomos uma nova competição porque o sistema atual não funciona", afirmava a organização em seu texto de terça-feira.

"Devido às circunstâncias atuais, devemos considerar os passos mais adequados para reformular o projeto, sempre tendo em mente o nosso objetivo de proporcionar aos torcedores a melhor experiência possível e, ao mesmo tempo, impulsionar os pagamentos solidários para toda a comunidade do futebol."

Agora, com mais times saindo do barco, o projeto parece ter afundado de vez.

;

Links
Vídeo


Últimas Notícias




Quem na Globo sempre mandou, agora é contrariado na CNN


Após décadas de cobranças, Governo do Estado atende demanda antiga do Consórcio ABC e inicia Piscinão Jaboticabal


Bolsonaro: Brasil é única "republiqueta do mundo" que aceita voto eletrônico


CPI da Covid: as perguntas que o ministro Marcelo Queiroga deixou de responder


Ronda Ostensiva Municipal de São Bernardo prende dupla por roubo em ponto de ônibus


GCM de Santo André deflagra operação na região do bairro Camilópolis