Politica - 03/11/2017 - 18:02:22

 

PGR reforça pedido ao STF para investigar compra de decisões judiciais pela J&F

PGR reforça pedido ao STF para investigar compra de decisões judiciais pela J&F

 

Da Redação com Abr

Foto(s): Divulgação / Arquivo

 

Wesley Batista (esq) e Joesley Batista (dir) da JBS

Wesley Batista (esq) e Joesley Batista (dir) da JBS


A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu que o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), reconsidere sua decisão de arquivar uma investigação sobre possível compra de decisões judiciais pelo grupo J&F, dono da empresa JBS.

O pedido diz respeito a uma investigação iniciada ainda na primeira instância da Justiça e depois remetida à PGR. O objetivo é investigar mensagens trocadas entre uma advogada e Francisco de Assis, ex-diretor jurídico do grupo J&F, no qual ele revela o que seriam tentativas de comprar sentenças favoráveis à companhia em diferentes instâncias, inclusive no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O primeiro pedido de investigação prévia sobre o assunto foi feito por Raquel Dodge em outubro, pouco depois de o conteúdo das mensagens ter sido revelado pela revista Veja. A procuradora-geral da República solicitou então autorização para realizar uma perícia preliminar na conversa.

Na primeira solicitação, Lewandowski entendeu não haver indícios suficientes, além da troca de mensagens, que justificassem a investigação.

No pedido de reconsideração, de acordo com o G1, Raquel Dodge volta a insistir que se permita a realização da perícia preliminar no material que foi entregue pela J&F, de modo que seja possível aferir a necessidade ou não da abertura de inquérito sobre o caso.

 



;

Links
Vídeo
Turismo SBC


Últimas Notícias




Câmara aprova decreto de intervenção no Rio de Janeiro


Vereadores petistas querem indenização da prefeitura de São Bernardo


MTST realiza discursos políticos contra reforma da Previdência em São Bernardo


MTST descumpre acordo e faz passeata em São Bernardo


Temer convoca Exército para intervir na segurança do Rio de Janeiro


Justiça manda Corinthians e Odebrecht devolverem R$ 400 milhões para a Caixa