Internacional - 30/04/2017 - 16:03:01

 

Oposição denuncia que Maduro convocará Constituinte sem voto popular

Oposição denuncia que Maduro convocará Constituinte sem voto popular

 

Da Redação com EFE

Foto(s): EFE

 

Julio Borges, presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, denuncia convocação de Constituinte sem respaldo de votação popular

Julio Borges, presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, denuncia convocação de Constituinte sem respaldo de votação popular


O presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, o opositor Julio Borges, garantiu hoje (30) que o presidente Nicolás Maduro pretende anunciar amanhã (1º) uma "Constituinte comunal", ou seja, sem submetê-la à votação popular. Segundo Borges, isso seria a continuação do "golpe de Estado" no país.

"Queremos deixar muito claro no dia de hoje que qualquer passo em relação a convocar uma Constituinte comunal não é outra coisa que a continuação do golpe de Estado na Venezuela", afirmou Borges em uma coletiva de imprensa.

Conforme o deputado, tal Constituinte "não será eleita pelo povo", mas será escolhida "a dedo" e que a mesma terá "todos os poderes que hoje deveriam estar nas mãos de um povo que quer votar".

O chefe do Parlamento da Venezuela assegurou ainda que já entrou em contato com os chanceleres dos países "mais importantes da região", de modo a deixá-los a par da ação. Julio Borges acrescentou que os chanceleres estão "alarmados" diante da possibilidade de que a crise na Venezuela "seja agora agravada pela convocação" desta Constituinte.

Eleições livres

A oposição venezuelana vem denunciando há um mês que está acontecendo um "golpe de Estado" no país, depois que o Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) emitiu duas sentenças, que foram parcialmente retiradas, nas quais assumia as competências do Parlamento e limitava a imunidade dos deputados.

Borges reiterou que, para a oposição, a solução da crise na Venezuela passa por "eleições livres", com observação internacional, sem políticos presos "nem inabilitados", e que se "respeite a Assembleia Nacional", além da "abertura de um canal humanitário de remédios e alimentos e o desarmamento dos grupos paramilitares".

"Senhor Nicolás Maduro, quero que fique bem claro [...] o problema não é a Constituição, o problema é o senhor. O problema não é convocar uma Constituinte, o problema se chama Nicolás Maduro. O problema não é fazer anúncios para continuar rompendo o tecido constitucional, o problema é fazer cumprir a Constituição", disse Borges.

O parlamentar da oposição fez um pedido à Força Armada Nacional Bolivariana e aos que têm "o poder" nos tribunais que tenham consciência e estejam ao lado da Constituição. 

 



;

Links
Vídeo


Últimas Notícias




MST e outros seis movimentos declaram apoio a França


Dólar fecha em queda e Bovespa sobe 2,83%


Governo decide manter começo do horário de verão em 4 de novembro


BTG Pactual/FSB: Jair Bolsonaro tem 59% dos votos válidos; Haddad, 41%


Boleto acima de R$ 100 poderá ser pago em qualquer banco


Carla Morando está na liderança para estadual no Grande ABC